Alder Júlio Ferreira Calado

 

Que aspectos centrais foram vivenciados pelos participantes da VI SEMANA TEOLÓGICA Pe. JOSÉ COMBLIN, em sua edição de 2016, recém-finda, no dia 15 próximo passado? É o que cuidamos de compartilhar, ainda que não se trate de uma avaliação propriamente dita, a ser feita pelos vários grupos organizadores, no próximo dia 05 de novembro. Ao fazê-lo, temos em vista, principalmente, membros da numerosa família combliniana, espalhados por esse mundo de Deus, e que não puderam comparecer a esta sexta edição da STPJC.

 

Distribuímos as linhas que seguem, em três tópicos: o processo organizativo da VI STPJC; as jornadas comunitárias; e as sessões de encerramento. 

 

Quanto ao seu processo organizativo, trata-se de uma iniciativa de vários grupos da “Igreja na Base”, atuando nas cercanias da área metropolitana de João Pessoa – PB. Em sua sexta edição, esses grupos se reuniram, em várias ocasiões,  para pensarem e encaminhar, junto com diversas comunidades do campo e da cidade, distintos momentos desta inciativa, das quais fazem parte as Jornadas Comunitárias (no campo e na cidade), bem como as sessões de encerramento.

 

Com relação ao tema desta sexta edição da STJPC, optou-se por aprofundar o desafio das migrações forçadas, que se passam em diversos lugares no mundo, em especial nas regiões próximas do Oriente Médio e do Norte da África, em direção à Europa, mas também com incidência na América Latina.

 

As Jornadas Comunitárias realizaram-se, a partir de agosto (nas comunidades que se encontraram no bairro do Rangel, em João Pessoas), com a calorosa acolhida da Comunidade Paroquial local, e animação de Rede Celebra. A esta jornada, seguiiu-se  a que aconteceu, em setembro, protagonizada por diversas comunidades que se reuniram em Café do Vento (município de Sobrado).

 

Em cada uma delas, a programação era semelhante.  A jornada sempre se inciava com o acolhimento feito por uma equipe local, seguido de um momento de oração, cua preparação também ficava a cargo de equipe local. Uma pessoa da coordenação da jornada passava a rememorar aspectos das semanas teológicas precedentes, repassando o tema de cada uma, os aspectos mais densamente trabalhados, bem como a forma de organização de cada uma das STPJC. Em seguida, a mesma pessoa cuidava de focar especificamente o tema da presente edição. Ao mesmo tempo, era complementada pelas intervenções de outras pessoas participantes. 

 

No momento seguinte, de acordo com as circunstâncias e a escolha dos organizadores locais, passava-se a distruibuir aquela plenaria em pequenos grupos, com a tarefa de lerem textos do Papa Franscisco e do Pe. José Comblin,  focando o tema da migração, em geral, e das migrações forçadas. Feita a leitura dos mesmos, eram propostas a cada grupo duas questões, voltadas ao aprofundamento do tema refletido nos texos. Após o almoço, a plenária cuidava de ouvir o relato do que fora trabalhado por cada grupo, ao que se seguia uma reflexão problematizadora por parte de uma das pessoas organizadoras da VI STPJC.

 

Prestados os informes finais, os participantes eram convidados à Oração final.

 

No tocante às sessões de encerramento, elas se deram nos dias 14 e 15 de outubro. No dia 14, no auditório do CCSA, da UFPB, teve lugar o lançamento dos livros do professor  e historiador Eduardo Hoornaert, intitulados “Em Busca de Jesus de Nazaré: uma análise literária dos primeiros textos” ( Paulus, 2016) e “ Origens do Cristianismo” (Paulus, 2016). Na ocasião, após a acolhida feita por uma pessoa membro de um dos grupos organizadores, foi prestada uma singela homenagem ao Prof.  Eduardo Hoornaert, fazendo-se inclusive referência a alguns de seus dados biobibliográficos. Em seguida, foi formada a Mesa, para a qual foi  convidado o Prof.  Eduardo, para fazer uma apresentação didática de seus dois livros, servindo-se de excelente material visual. Passou-se, a seguir, para uma série de intervenções da parte dos presentes, em diálogo com o autor dos livros citados. 

 

No sábado, dia 15 de outubro, no auditório da Livraria Paulinas, no centro de João Pessoa, deu-se a última sessão de encerramento da VI Semana Teológica Pe. José Comblin. De ínicio, foi feito o acolhimento dos participantes por um dos membros organizadores da VI STPJC. Em seguida, membros do grupo Rede Celebra animaram um denso momento de oração, sempre com a participação dos presentes. Finda a Oração, outro membro da Coordenação passou a rememorar aspectos mais fortes das Semanas Teológicas anteriores, utilizando-se de recursos eletrônicos e do “site” Teológia Nordeste. A este mesmo membro, coube anunciar e convidar a tomar assento à Mesa as pessoas convidadas a fazerem uma reflexão sobre o tema geral da VI SPJC: “Povo de Deus desinstalado por um mundo sem fronteiras”.

 

Esta mesa foi coordenada pelo Pastor Luciano Batisa de Sousa, Pastor da Igreja Batista de Várzea Nova, Santa Rita - PB, a quem coube convidar para fazer sua reflezão, a Irmã Elisangêla Ferreira, Religiosa das Irmãs de Caridade Maria Mãe da Misericórdia, bem como o Prof.  Eduardo Hoornaert, historiador e pesquisador da história do Cristianismo, e velho amigo do Padre José Comblin.

 

Após as exposições sobre o o tema central da VI STPJC, bem como sobre aspectos da rica experiência das PCIs (Pequenas Comunidades de Religiosas Inseridas no Meio Popular) e sobre traços fundamentais do legado do Pe.  José Comblin, o Pastor Luciano teceu comentários sobre a fala dos expositores, e,  a seguir, abriu inscrições para várias intervenções das pessoas presentes, em diálogo aberto com os expositores. 

 

Ao final da sessão, coube ao membro que acolheu os participantes, convidar os presentes e, em especial, a Equipe de Rede Celebra, a fazerem a Oração final.

 

Ficam, pois. aqui registrados alguns pontos tratados,durante a realização da VI Semana Teológica Pe. José Comblin, cujos grupos organizadores estão convidados a se reunirem, no sábado, dia 5 de novembro, na Livraria Paulinas, para um encontro de avaliação da VI STPJC.