Rafael Reginaldo

A Comissão Pastoral da Terra da Arquidiocese da Paraíba e da Diocese de Guarabira esteve reunida na manhã do dia 10 de agosto na casa de encontro Maria Pia em Cabedelo – PB, para refletir sobre o tema: Instituição e Carisma, a luz da tradição de Jesus, este momento formativo aconteceu dentro da VI SEMANA TEOLÓGICA PADRE JOSE COMBLIN. Os facilitadores desta formação foram Padre Hermínio Canova e o Diácono permanente Alder Julio.

Estavam presentes neste encontro os agentes pastorais da CPT de João Pessoa; Padre João Maria, Irmãs Verônica, Albertina e Marlene, Tânia, Iolanda, Ana Maria, Rogério, João Muniz, Alexsandra, Washington, Tiago Pinto, Alane Maria, Marcio, Socorro, João Irineu e Rafael. E os agentes pastorais da CPT de Guarabira; Josemar, Ironaldo e Maria Joseane. Também estava presente Elenilson membro da CEB`s (Comunidades Eclesiais de Base) do bairro Tibiri II da cidade de Santa Rita – PB, que está em fase de elaboração do trabalho de pesquisa de doutorado na UFPB (Universidade Federal da Paraíba) pelo programa de pós-graduação em Ciência das Religiões sobre “A contribuição de Jose Comblin para a Igreja dos Pobres na Paraíba”.

Padre Hermínio iniciou a manhã formativa fazendo um breve relato histórico do estudo da Teologia, que antes era apenas restrito aos monges, dentro dos mosteiros e aos padres. Este importante estudo nos dias atuais faz-se necessário para todo agente pastoral e animador de comunidade, teologia não deve ser apenas o estudo de bispos e padres, mas de todo cristão. Segundo Alder Júlio, o grande teólogo José Comblin contribuiu bastante para o estudo da teologia nas comunidades e grupos por sua maneira simples de escrever e pela forma de entendimento do “movimento” de Jesus. Devemos viver em um tempo diário de estudo da teologia.

Padre Hermínio, explicou que o Projeto de Jesus não era algo fora do alcance. Era algo concretizado divididos em três grandes tópicos que percebemos quando fazemos a leitura dos Evangelhos. Saúde; Jesus curou as enfermidades daquele povo por onde passava. Alimento; Jesus multiplicou o pão para os famintos daquela época. E as Novas Relações Humanas; Jesus restaurou a dignidade das pessoas especialmente com os oprimidos e excluídos da sociedade.

Formando três subgrupos os participantes da formação foram convidados a ler o texto Instituição e Carisma, à Luz da Tradição de Jesus e a responderem os seguintes questionamentos;

1 - A partir do tema chave - Carisma e Instituição, a luz da tradição de Jesus – que ASPECTOS mais fortes lhes chamam atenção?

2 - No chão do cotidiano de nossa Igreja, que PONTOS merecem nossa reflexão critica especial?

3 - No dia-dia da sua comunidade, com relação a esses temas acima propostos quais principais DESAFIOS aí encontramos?

Os grupos elencaram alguns pontos importantes que foram encontrados a partir da leitura do texto e reflexão. Estamos vivendo em tempo de crise moral em toda a sociedade. Sabemos que o carisma vai além do eclesial, a melhor proposta para cada um de nós é nos apegarmos às pequenas luzes que são os sinais para nossa luta no cotidiano; devemos também nos reeducar na boa leitura formativa, precisamos buscar o ponto de equilíbrio e isso só se consegue a partir dos questionamentos, pois torna-se perceptível que as pessoas passam, mas o modelo sempre repete-se. O papa Francisco é um sinal de esperança em meio às contradições. Em todos os setores da sociedade sempre existirá estas dualidades.

O Carisma, um dom de Deus. Instituição, um poder vertical, patriarcal e econômico. Contamos nos dias atuais com a ausência dos apoios as pastorais sociais. Um importante questionamento foi feito, Como fazer o povo refletir e desconstruir a reprodução das hierarquias opressoras? Relembrando a história quando se fala de Carisma a imagem mais significativa era de ver os padres em proximidade com o povo no meio da comunidade. Quando se fala de Instituição, hoje percebe-se os padres como bons administradores, porém em sua maioria das vezes distantes do povo. Perdemos bastante, especialmente na área da formação bíblico teológico para o povo. Um frequente desafio é o de viver em comunidade. E outro fator é de que a Igreja em partes está adotando o modelo “perverso” do capitalismo.

Após a socialização dos grupos, Padre Hermínio elencou os pontos que achou mais importantes na fala dos mesmos; vivendo dentro desta dualidade dificulta a não enxergar tão claramente os horizontes. Na sociedade existe muita gente descartada. Existem certos modelos de instituições que derrotam os carismas. O modelo opressor está se repetindo. Estamos convivendo com uma minoria privilegiada baseada no patriarcalismo que derruba o projeto popular. Porém existe uma esperança de que do caos possa surgir o novo que é criativo. Percebe-se que na sociedade tem carismas uma espécie de profecia coletiva, que são as experiências de grupos e comunidades em pequenos núcleos.

A era digital é um grande desafio, porém a juventude em meio a este contexto nos apontam luzes, direcionam para a inovação, como jovens esticadores de horizontes, o que é urgente é ressignificar as atitudes. Contamos com outro desafio que na Igreja dos dias atuais encontramos com mais facilidade, existem mais administradores do que profetas. É preciso também, realizar estudos mais aprofundados em nossas comunidades e grupos.

Segundo Alder Julio em suas colocações, frisou que este momento foi de profunda e rica reflexão, mas, ainda acrescenta diante disso três pontos importantes para a historia e a luta pastoral; memória, discernimento e compromisso. 1 - A Memória, “O que a gente vivencia hoje na Igreja e sociedade não é apenas nós que vivemos, não somos os únicos a experimentar o que estamos vivenciando, estes acontecimentos não são para nos abater em nossa luta. Somos um ponto minúsculo em toda a sociedade. No entanto, nós somos parte disto que está aí, de bem ou de mal na sociedade. A CPT nestes dias fará 50 anos, em outros momentos fomos mais grávidos com relação ao evangelho, o que fazia a diferença era o jeito que nos organizávamos em comunidades. Um jeito próprio que marcou a gente, e muita gente por aí a fora. Mas, que aos poucos fomos apostando em atalhos, indo por atalhos mais acomodados. Em tempos da reforma agrária fomos mais longe nos anos 90 ou nos anos 2000? A mudança que esperamos começa naquilo que já vivenciamos no hoje. A gente perdeu esse jeito próprio de se organizar, de formar. Se a base é formada, torna-se difícil de manipular”.

2 - O Discernimento; “A isto, devemos fazer sempre uma autocrítica, se nós não reconhecermos as nossas fragilidades, iremos nos tornar fariseus. Nos tornamos muitas vezes omissos. Qual a minha parcela de contribuição pra isso? Qual a nossa responsabilidade sobre isso? Nós recuamos na luta. Quando procuramos desculpas, nos comprometemos referentes as omissões”. 3 - O Compromisso; “Devemos recolher o espírito de mística, temos as experiências das feiras agroecológicas em todo o estado, devemos apostar nessas moléculas, sofremos um estrago tão grande que torna frustrante sair deste sistema tão enraizados. Há compromissos a retomar, é preciso partir da humildade. Onde estão às experiências abraâmicas? Devemos mapeá-las, divulga-las. Para que assim possamos motivar outras, e multiplica-las.

Padre Hermínio motivou os agentes pastorais a divulgarem as nossas narrativas, e interpretações da realidade. Falou ainda que nossos parceiros em potencialidades podem ser os jovens que com seus celulares inovam, é preciso apenas ressignificar. Papa Francisco vem dizer que os pobres são criativos, com eles devemos aprender bonitas lições de vida. É preciso intensificar o estudo bíblico teológico para o povo, a partir de uma boa teoria, para não cairmos na fraqueza conceitual. Faz-se urgente repensar a política, não para imitar o modelo que está aí. Inovar as políticas públicas a partir do tripé; Partido, Sindicato e Comunidade.

Em sua fala conclusiva Alder Júlio expressou que o cântico “Baião das Comunidades” que cantamos em nossos encontros nos dar um roteiro, nos aponta um caminho para a nova sociedade, a partir das experiências minúsculas já existentes. E frisou que devemos retomar os estudos. Recomenda estudar os documentos: Declaración da 7ª Conferencia da Via Campesina, Carta de Aparecida dos Franciscanos, as cartas do Papa Francisco aos movimentos sociais especialmente nos três grandes momentos.

O Espírito Santo nos inspira a fazer acontecer. Por último indica o site http://www.teologianordeste.net/.onde se encontra um grande acervo sobre boas temáticas que devem ser trabalhadas nos grupos e comunidades. E novamente retomou o questionamento: Onde estão as pequenas experiências? Vamos mapea-las? Depois vamos motiva-las para que sirvam de exemplo e surjam novas experiências.

 

 

Cabedelo - PB, 10 de agosto de 2017.